Aum ॐ Meu Recanto de Paz: Março 2013

ॐ Amigos, sejam muito BEM VINDOS!! ♥

quinta-feira, 28 de março de 2013

Doação Diferente

 Tantos rogam!...

E o coração se enternece.
São doentes largados à noite, companheiros em penúria aguardando auxílio, pequeninos sem lar
e irmãos em prova que te estendem as mãos, algo esperando de tua bondade ou de tua bolsa!...
Todos são dignos do apoio que se te faça possível.
Entretanto, nas trilhas do cotidiano,
outros necessitados vão surgindo, a reclamarem
uma das mais preciosas doações que a criatura
é capaz de oferecer.
São aqueles que te agridem a vida, os que te dilapidam os interesses; os que te experimentam
com a magia da tentação; os que te estragam o relacionamento familiar; os que te menosprezam
os sentimentos; os que te espancam com as farpas invisíveis do sarcasmo; os que se apoderam do destaque para que te omitas obrigatoriamente nas sombras; os que descarregam seus próprios fardos sobre as responsabilidades que transpostas nos ombros; os que te agravam as dificuldades e
aqueles outros que em vão te consomem as possibilidades de trabalho, anulando-te o tempo.
Diante desses irmãos que tantas vezes te
emaranham no cipoal da inquietação vazia,
não desesperes, nem desanimes.
Oferece-lhes a tua doação de paciência e deixa-os
no recanto de incompreensão a que se acolhem.
Entrega-os a Deus e segue o teu próprio caminho.
São doentes do espírito que só a Divina Providência conseguirá curar na clínica do tempo.
E é preciso reconhecer que os doentes da alma
não sabem o que fazem.


Meimei/Chico Xavier

segunda-feira, 18 de março de 2013

Mente em Paz


Apesar de tuas boas disposições, surgem momentos em que estranhos estados da alma assomam, perturbando-te a lucidez e o entusiasmo.

Esses constituem desafios graves, que podem levar a imprevisíveis resultados negativos.

Surgem como depressão ou desinteresse, que deflui de uma observação infeliz, ou de uma palavra azeda, ou de uma discussão desgastante...

Há ocasiões em que se manifestam como nuvem obnubiladora do discernimento, insistente, que termina por gerar indisposição íntima, quando não leva distonias e agressividade mais contundente.

Além dos fatores normais sócio-psicológicos do relacionamento ou da emoção, originam-se na interferência psíquica de desencarnados que se comprazem em inquietar, inspirando desespero e conduzindo a estágios aflitivos...

Vivemos em quase permanente intercâmbio psíquico com os outros, no corpo físico e fora dele.

Mentes disparam dardos contra outras, atingindo o alvo com pontaria segura e estabelecendo telefone de comunicação perturbadora.

Interrompe a telepatia deprimente, sobrepondo a tua vontade e corrigindo a sintonia psíquica.

Sai um pouco e respira ar puro.

Recorda os planos e ideais que acalentas.

Dialoga um pouco com alguém que te inspira simpatia.

Ora, por alguns instantes.

Estes expedientes expulsarão a onda de perturbação que te envolve, e tornarás ao estado de tranquilidade. 


Joanna de Ângelis

terça-feira, 12 de março de 2013

Higiene Mental


Toda vez que pensamos algo, um sentimento correspondente àquela ideia se apresenta.
A higiene mental se faz através da reflexão sobre os tipos de pensamentos que estamos tendo e quais os sentimentos que eles despertam em nós: de alegria, paz e tranquilidade ou de raiva, contrariedade e ciúme.
A análise diária do conteúdo, com o qual preenchemos a nossa mente, é de extrema importância para a nossa saúde física, mental e espiritual.
Ao identificar o pensamento como energia que emite vibrações, se exterioriza e sintoniza com outros do mesmo teor, entendemos o quanto somos capazes de influenciar o nosso semelhante e os ambientes.
Recebemos de modo direto e permanente as vibrações dos pensamentos que emitimos. Nosso ser impregna-se, pouco a pouco, das qualidades dessas vibrações, sejam elas boas ou más.
Por essa razão, nos sentimos bem quando nos aproximamos de pessoas que se habituam a manter a mente elevada, nutrida de bons sentimentos.
Se mantemos com frequência ideias inspiradas por maus desejos, vamos acumulando a energia emitida por elas, podendo ocasionar desordens físicas e até doenças.
Num movimento contrário, podemos direcionar a mente no sentido da superação e cura de enfermidades. Ela atua modificando a nossa natureza íntima.
É com frequência que vemos pessoas acometidas de doenças graves que apresentam uma recuperação surpreendente, pois mantêm uma atitude mental muito positiva e voltada para o bem.
Assim, de acordo com a nossa vontade, podemos fazer em nós luz ou sombra.
Os ambientes também são influenciados pela projeção dos pensamentos de cada um e ficam impregnados das qualidades boas ou más. Assim se explicam os efeitos que se produzem em lugares de reunião.
Toda assembleia é um foco de irradiação de vários pensamentos. Se o conjunto é harmonioso, com certeza irá causar uma impressão agradável e boas sensações.
Por isso nos sentimos bem ao adentrarmos em templos religiosos, onde é constante a comunhão com Deus. Também em lares em que as pessoas que ali vivem prezam o amor, a harmonia e a paz.
É pelo mesmo mecanismo que, por vezes, nos sentimos desconfortáveis em ambientes onde predominam conversas desagradáveis e insignificantes. Ou onde as pessoas estão sob o efeito de bebidas alcoólicas.
Carregamos o remédio aplicável a essas situações. O pensamento salutar, a prece sincera, o silêncio ou a palavra edificante são fontes permanentes à nossa disposição.
Usando esses recursos, podemos modificar o ambiente em que estamos, influenciando-o com a pureza dos sentimentos.
Evitemos então as palavras vãs, as discussões e as leituras frívolas.
Aprendamos a fiscalizar os nossos pensamentos, a discipliná-los, a imprimir-lhes uma direção determinada, um fim nobre e digno.
Somos o que pensamos, pois é o pensamento que gera nossas palavras e nossas atitudes. Com ele construímos, dia a dia, o presente e o futuro.

Redação do Momento Espírita

sexta-feira, 8 de março de 2013

A Melhor Proteção

 
Estamos fazendo escolhas o tempo todo, mesmo que não tenhamos consciência disso... e nossas escolhas, muitas vezes, são guiadas por nossos medos...
Medos, na maior parte das vezes, inconscientes, e mesmo os que temos consciência deles podem ter uma causa muito diferente da forma com que se manifestam hoje.

Por causa de experiências de medo de outras vidas, que repetimos nessa, tentamos evitar a todo custo passar por aquelas experiências de novo e, com o passar do tempo... das vidas... mesmo que a causa do medo fique perdida na memória e nem exista mais, os mecanismos de defesa que criamos para nos proteger continuam a acionar sinais de perigo.

Imagina que já vivemos em muitas vidas situações de real perigo... já podemos ter sido perseguidos e ameaçados de várias maneiras, quando vivemos em época de guerra... guerras religiosas, guerras entre famílias e até memórias bem mais antigas onde tínhamos que lutar pela sobrevivência na pré história...

Se naquela vida precisamos fugir e nos esconder, vivendo acuados pelo medo de sermos descobertos, mesmo que nessa vida essa ameaça não seja mais real e nem tenhamos mais consciência dos fatos que geraram essas memórias de medo, podemos nos sentir ameaçados sem nem saber por quê. A ameaça real não existe mais... mas, o sentimento que precisamos nos proteger de algo é bem real. E projetamos esse medo nas situações das nossa vidas.

Se vivemos uma situação de muito sofrimento no passado recente ou remoto... tentamos evitar a todo custo passar de novo pelo mesmo sofrimento, e nos cercamos de proteção por todos os lados... essa proteção excessiva, acaba no prejudicando e limitando nossa vida a espaços cada vez menores...

Noite dessas tive um sonho que me mostrou isso com clareza... No sonho eu estava em um cômodo pequeno com minha mãe, e tinha um segurança para nos proteger... esse segurança tinha levado um cachorro que era muito bravo para que a proteção ficasse maior... Só que o cachorro passou a ser uma ameaça e eu me via acuada e tensa vigiando o cachorro, e o próprio segurança tinha que conter o cachorro o tempo todo...

Acordei com a certeza que estava me protegendo em excesso em algum ponto, e que a proteção era tão exagerada que ela agora me ameaçava, e me levou ao ponto de reduzir minha liberdade a um espaço muito pequeno... Eu não sabia do que estava me protegendo, mas essa proteção estava me deixando acuada e agora... a proteção que me ameaçava... o que antes era solução passou a ser problema.

Acordei do sonho e uma luzinha vermelha começou a piscar me mostrando que existia algum medo pronto para ser liberado... Tentei entender do que eu estava me protegendo tão exageradamente, mas não consegui identificar o ponto.
Fiz Ho'oponopono para limpar o que causou e o que veio a tona nesse sonho, e pouco a pouco as coisas estão clareando e liberando...

A causa do medo saiu da minha memória consciente, mas o mecanismo da proteção não... e assim passamos a vida nos protegendo de coisas que nem temos mais motivos para nos proteger... criamos sofisticados esquemas de proteção, e servimos a esses esquemas sem nem saber do que estamos nos protegendo...

Quanto mais focamos em algo querendo que aquilo se manifeste nas nossas vidas ou tentando a todo custo evitar que aquilo se manifeste... atraímos mais e mais daquela situação... e assim vamos recriando situações de medo das quais precisamos nos proteger...

Na verdade deveríamos nos proteger de nos mesmos... nos proteger de sermos tão afetados pelas memórias equivocadas do passado... e a melhor proteção para isso é viver no presente... nesse tempo mágico onde estamos livres dos medos do passado e das preocupações com o futuro... e onde todas as possibilidades estão disponíveis...


Rubia A. Dantés

Poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...