Aum ॐ Meu Recanto de Paz: Setembro 2012

ॐ Amigos, sejam muito BEM VINDOS!! ♥

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Dar Amor

O panorama do mundo, neste início do Terceiro Milênio, não é maravilhoso.
Há milhões de pessoas que estão passando fome. As guerras continuam devastadoras. Os homens disputam pedaços de terra, que chamam de territórios, como se fossem viver para sempre em cima deles. E cada pedacinho fica manchado com o sangue de muitas vítimas.
Há milhões de pessoas sem um teto. Milhões que sofrem de AIDS. Milhões de crianças, adultos e velhos que sofreram e sofrem violência.
Milhões de pessoas que padecem de invalidez, seja por terem nascido com a deficiência ou por terem sido vítimas de enfermidades, acidentes ou combates.
Todos os dias, em todo o mundo, mais alguém está clamando por compreensão e compaixão.
Este é o mundo que recebemos do milênio passado. O mundo que construímos. Agora nos compete construir o mundo renovado do Terceiro Milênio.
Escutemos o som das vozes de todos os que padecem. Escutemos como se fosse uma cantiga, um mantra que suplica auxílio.
Abramos os nossos corações para todos os que estão precisando e aprendamos que as maiores bênçãos vêm sempre do ajudar aos outros.
Acima de pontos de vista econômicos, de crença religiosa, de cor da pele, aprendamos que todos somos filhos do mesmo Pai e nos encontramos na mesma escola: a Terra.
Por isso o auxílio mútuo é dever de todos. Podemos não resolver os problemas do mundo, mas resolveremos o problema de alguém.
Não podemos resolver o problema da AIDS, mas podemos colaborar valorosamente nas campanhas de esclarecimento às novas gerações.
Não podemos diminuir as dores de todos os pacientes, mas podemos colaborar conseguindo a medicação precisa para um deles, ao menos.
Com certeza, não podemos devolver mobilidade a membros paralisados. Mas podemos nos tornar mãos e pernas, auxiliando aqueles que precisam.
Podemos não resolver o problema da fome no mundo, mas podemos muito bem providenciar para que quem esteja mais próximo de nós, não morra à míngua, providenciando-lhe o alimento ou o salário justo.
É muito importante aprender a gostar de tudo o que fazemos.
Podemos ser pobres e nos sentir sozinhos. Podemos morar em um local não muito agradável, mesmo assim, ainda poderemos colocar flores nos corações e nos alegrar com a vida.
Tudo é suportável quando há amor, único sentimento que viverá para sempre.
O amor é a virtude por excelência, seja na Terra, seja em outras moradas do Senhor.
O equilíbrio do amor desfaz toda discriminação, na marcha que realizamos para Deus.
Exercitando o amor conjugal, filial, paternal ou fraternal busquemos refletir, mesmo que seja à distância, o amor do nosso Pai, que a todos busca pelos caminhos da evolução.
Vivamos e amemos, de forma equilibrada, sentindo as excelsas vibrações que vertem de Deus sobre as necessidades do mundo.

Redação do Momento Espírita
pelo Espírito Thereza de Brito,
psicografia de Raul Teixeira.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Sem Desânimo


Se você deixou de trabalhar, entrando em desânimo, examine o tráfego numa rua simples.

Ônibus, automóveis, caminhões, ambulâncias e viaturas diversas passam em graus de velocidade diferente, cumprindo as tarefas que lhes foram assinaladas.

Nenhum veículo segue sem objetivo e sem direção.

Observe, porém, o carro parado, fora da pista.

Além de constituir uma tentação para malfeitores e um perigo no trânsito, é também um peso morto na economia geral, porquanto foge do bem que lhe cabe fazer.

Entretanto, se o dono resolve recuperá-lo, aparecem, de pronto, motoristas abnegados, que se empenham a socorrê-lo.

Considera a lição e não gaste o seu tempo, acalentando enguiços na própria alma, que farão de você um trambolho para os corações queridos que lhe partilham a marcha.

Qual acontece ao veículo mais singelo, você pode perfeitamente auxiliar nos caminhos da vida, arrancar um companheiro dessa ou daquela dificuldade, carregar um doente, transportar uma carta confortadora, entregar um remédio ou distribuir alimento.

Se você quiser, realmente, largar o cantinho da inércia, rogue amparo aos Espíritos Benevolentes e Sábios que funcionam, caridosamente, na condição de mecânicos da Providência Divina, e eles colaborarão com você, mas para que isso aconteça, é preciso, antes de tudo, que você pense em servir, dispondo-se a começar.

 
Da obra: Paz e Renovação, André Luiz/Chico Xavier

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Princípios Redentores

Não se esqueça de que Deus é o tema central de nossos destinos.

Deseje o bem dos outros, tanto quanto deseja o próprio bem.

Concorde imediatamente com os adversários.

Respeite a opinião dos vizinhos.

Evite contendas desagradáveis.

Empreste sem aguardar restituição.

Dê seu concurso às boas obras, com alegria.

Não se preocupe com os caluniadores.

Agradeça ao inimigo pelo valor que ele lhe atribui.

Ajude as crianças.

Não desampare os velhos e doentes.

Pense em você, por último, em qualquer jogo de benefícios.

Desculpe sinceramente.

Não critique a ninguém.

Repare seus defeitos, antes de corrigir os alheios.

Use a fé e a prudência.

Aprenda a semear, preparando boa ceifa.

Não peça uvas ao espinheiro.

Liberte-se do peso de excessivas convenções.

Cultive a simplicidade.

Fale o menos possível, relativamente a você e a seus problemas.

Estimule as qualidades nobres dos companheiros.

Trabalhe no bem de todos.

Valorize o tempo.

Metodize o trabalho, sabendo que cada dia tem as suas obrigações.

Não se aflija.

Sirva a toda gente sem prender-se.

Seja alegre, justo e agradecido.

Jamais imponha seus pontos de vista.

Lembre-se de que o mundo não foi feito apenas para você.


Do livro: Agenda Cristã – Chico Xavier/André Luiz


quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Para Auxiliar


Seja onde for ou diante de quem for, compadece-te.

Ninguém se aproximaria de ti, no intuito de aumentar a carga dos próprios sofrimentos.  

Há quem te busque na expectativa de obter uma fatia de pão ou alguma pequena parcela de teus recursos, no entanto, muito mais que semelhantes companheiros, outras criaturas te procurarão a companhia. 

Esse amigo suposto privilegiado da fortuna, conquanto a conversação amena com que se distingue, aguarda de ti essa ou aquela frase de reconforto, em vista de trazer o coração retalhado de angústia diante da esposa, a exigir-lhe separação; outro que conseguiu engajar-se no poder, em dialogando contigo, indiretamente, roga-te palavras de amparo que lhe balsamizem as enfermidades ocultas; e ainda outro que se te afigura inteligente, mas frívolo, escuta-te as impressões em torno desse ou daquele assunto, ansiando receber-te algum apontamento que lhe arranque as idéias de delinquência. 

A mulher  que te surge, à frente, adornada em excesso, estará procurando algum argumento que lhe evite a queda nas teias do suicídio e aquela outra que se te mostra, algumas vezes, maquilada em demasia, jaz talvez no serviço sacrificial com que mantém um filho no sanatório. 

Ouve os que te busquem a presença ou a palavra, com bondade e simpatia. 

Não te fixes no que te parece; medita naquilo que provavelmente se encontra por trás das circunstâncias a esmolar-te auxílio e comiseração. 

Dispõe-te a compreender, a fim de que possas auxiliar. 

Compadece-te de teus pais, de teus filhos, de teus irmãos, de teus amigos e adversários. 

Conta-se que o Apóstolo João, o Evangelista, despendeu dilatados janeiros pesquisando as expressões exatas com as quais pudesse explicar a natureza de Deus, mas, em seguida, a esforço longo e gigantesco, encontrou a procurada definição nestas três palavras:- "Deus é Amor." 

Meimei

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Criar Oportunidades

Esquematiza as tuas prioridades e não deixes para depois as coisas essenciais.

Não absorvas todo o tempo com questões sem relevância para a tua felicidade.

Coisas e objetos não são mais importantes que pessoas.

Problemas materiais que representam mais ou menos dinheiro para o teu bolso podem ser adiados.

Nada mais importante que o investimento da paz.

Sacrifica os teus interesses imediatos ao que te proporcionará alegria duradoura.

Os que te amam, carecem mais de tua presença do que do teu talão de cheques.

As tuas dádivas amoedadas nunca te substituirão no carinho que deves aos teus.

Aprende a criar oportunidades de estar com os que te alimentam o espírito e se constituem no teu ponto de referência moral na vida.

Do livro "Orai e Vigiai", de Carlos A. Baccelli

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Não Estrague o Seu Dia!

Não estrague o seu dia!!!

A sua irritação não solucionará problema algum.

As suas contrariedades não alteram a natureza das coisas...

O seus desapontamentos não fazem o trabalho

que só o tempo conseguirá realizar.

O seu mau humor não modifica a vida.

A sua dor não impedirá que o Sol brilhe amanhã

sobre os bons e os maus.

A sua tristeza não iluminará os caminhos.

O seu desânimo não edificará a ninguém.

As suas lágrimas não substituem o suor que você deve

verter em benefício da sua própria felicidade.

As suas reclamações, ainda mesmo afetivas, jamais

acrescentarão nos outros um só grama de

simpatia por você.

Não estrague o seu dia. Aprenda, com a Sabedoria Divina,

a desculpar infinitamente, construindo e reconstruindo

sempre para o infinito bem.


André Luiz

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Inutilidade Cultivada


"A inércia é simplesmente ilusão e a preguiça é fuga que a Lei pune com as aflições da retaguarda" - Áulus

Afirmam os Benfeitores Espirituais que "cada qual terá de prestar contas da inatividade voluntária durante a sua existência".
Inúmeras criaturas acreditam que o trabalho é simples necessidade de esforço para prover materialmente a existência. Pensam que a fortuna circunstancial e casuísta lhes dispensariam de trabalho digno. É comum ouvirmos no cotidiano os planos dessas criaturas, caso sejam "felicitadas" pelos prêmios da loteria. Pode até acontecer, porém, mais tarde vão dar conta do engano, quando deixarem esta existência e perceberam que ela não contribuiu para o progresso espiritual. Então, como os preguiçosos lamentarão o tempo perdido! Descobrirão que o espírito não pode adquirir conhecimentos e se elevar senão através da atividade. Se ele adormece na despreocupação, não se adianta.

Sem trabalho não há progresso. De que adiantará, então, nascer, viver, morrer e renascer se, ao final de casa etapa não houver progresso por cultivarmos a inutilidade?

Enquanto você não se ajustar à cooperação produtiva na comunidade dos homens, demorar-se-á como um trânsfuga dos deveres com que a vida honra sua inteligência. A lição do sofrimento, quando bem recebida, é caminho para novas lições. O obstáculo vencido é senda para novos óbices a vencer; o problema solucionado oferece capacidade para resolver novos enigmas. Não pode ser diferente o programa da Escola Terrestre onde você burila a alma, se não ensinar, corrigir, aperfeiçoar...

O cristianismo se divulgou pelo mundo graças às dádivas de amor e coragem com que os primeiros servidores suportaram o cerco das perseguições do passado. A ociosidade perseguidora e cruel gastou-se na loucura da inutilidade cultivada. À opulência do orgulho de casta e raça sucederam os anos de humilhação e dor; isto porque somente permanece vibrante e viva a produção dos nossos serviços relevantes com os quais o progresso se desdobra.

Arrebente, portanto, os elos da inutilidade em que você se detém e produza no abençoado setor em que a Sabedoria Divina o situou.

Texto extraído da Revista Diálogo Espírita, Ano XV, n° 94, página 05.

domingo, 9 de setembro de 2012

Ações e Palavras


"O que você faz fala tão alto, que não consigo ouvir o que você diz."


O pensamento do filósofo e escritor americano, Ralph Waldo Emerson, precisa de nossa atenção.

Ações falam muito mais de nós mesmos do que nossas palavras.

Nossas palavras articulam-se por conveniência, por convenções e podem ser muito bem dissimuladas por força de nossa vontade, isto é, nem sempre contarão a verdade.

As ações mostram o que há em nossa alma, nossa índole, nossos valores.

É muito fácil falar. Mais difícil agir.

Francisco de Assis, missionário que resgatou a essência da mensagem do Cristo na Terra, em uma de suas pregações, afirmou:

A paz proclamada por vós com palavras deve habitar de modo mais abundante em vossos corações.

Isso significa que precisamos vivenciar algo para que nossas palavras e opiniões tenham peso. É a chamada autoridade moral.

Ela é válida na educação dos filhos, por exemplo.

Esses precisam identificar, nos genitores, o mesmo comportamento que estão exigindo deles.

Caso não encontrem essa referência, dificilmente seguirão qualquer recomendação educacional.

Os filhos poderão até obedecer, mas por medo, por ascendência da força, naquele momento.

Esse tipo de ascendência, porém, não dura. Tão logo se desvencilhem dos pais ou desenvolvam uma independência maior, voltarão a repetir as mesmas atitudes do ontem equivocado.

Resumindo: não aprenderam. Simplesmente atenderam a uma recomendação, por determinado tempo.

Por isso ouvimos falar na força do exemplo.

Os filhos copiam os pais em muitos aspectos. Imitam suas ações, sua forma de lidar com isso ou aquilo na vida. Seus conselhos só serão ouvidos se perceberem a força da autoridade moral embasando as falas.

A sabedoria de alguém não é medida pelo quanto ela sabe, conhece, mas pela qualidade de suas ações.

Vemos assim, no mundo, grandes vozes, de retórica impecável, mas cujas ações, no dia a dia, não condizem com seu verbo afiado.

Sobem nas tribunas do mundo, cantando a igualdade, a justiça, a defesa da população, quando em seu coração há apenas a busca pela satisfação de sua vaidade e egoísmo, tirando vantagem de tudo e de todos.

E muitas consciências de hoje estão tão doentes, tão obnubiladas, que nem sequer sentem algum tipo de remorso, culpa ou responsabilidade.

Despertarão mais tarde, possivelmente com a dor, com a força da lei de causa e efeito, colocando tudo de volta nos trilhos da alma descarrilhada.

Assim, cuidemos de nossas palavras e cuidemos de nossas ações.
O que fazemos fala muito mais alto do que aquilo que dizemos.
Lembremos do pensamento do filósofo:

O que você faz fala tão alto, que não consigo ouvir o que você diz.


Fonte: Redação do Momento Espírita.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Dê o Primeiro Passo


... “Cuidado para que seus sonhos não se transformem em meros projetos e intenções.

Frustração é o nome que se dá aos castelos que muitas vezes nossas mãos não quiseram construir.

Não desanime apenas porque sua meta exigirá longo esforço.

Toda longa caminhada começa no primeiro passo.

Um livro de mil folhas foi escrito pagina por pagina, palavra por palavra.

Não fique contando as prováveis dificuldades que vai encontrar, pois é possível que desista antes mesmo de começar.

Ponha-se a trabalhar e as dificuldades serão naturalmente resolvidas quando aparecer, se aparecer.

Jamais esqueça que dando o primeiro passo você se sentirá animado a dar logo o segundo e assim sucessivamente até a conquista das suas aspirações.

Quanto mais anda mais se sente empolgado em se aproximar do alvo desejado.

Quanto mais parado você fica, mais cansado e desanimado você estará.

Não se preocupe em se sentir ainda despreparado para atingir objetivos que você tanto acalanta. Ninguém está totalmente pronto quando inicia um novo projeto.

Comece a trabalhar pelos seus ideais e no curso dos acontecimentos você terá os aprendizados necessários e fará os ajustes precisos para alcançar a meta desejada.

Você não atravessará uma rua se ficar apenas contemplando o outro lado da calçada, o segredo do caminho é caminhar.

Se esperar pelo dia ideal para começar a trabalhar, você provavelmente não sairá do lugar.

Então… De o primeiro passo” 

Dr.José Carlos de Lucca

Poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...