Aum ॐ Meu Recanto de Paz: Agosto 2012

ॐ Amigos, sejam muito BEM VINDOS!! ♥

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Receita Contra o Desânimo


Se ao amanhecer de um novo dia tu te sentires sem ânimo, como se tudo fosse velho, sempre igual um dia após o outro, é porque dentro de ti há muito tua fé enfraqueceu, foi contaminada pelas ervas daninhas da tristeza, e da mágoa.

Todo amanhecer é novo, todo dia é uma nova oportunidade, a todo o momento coisas diferentes acontecem, pequenos detalhes que passam despercebidos aos olhos que não carregam a esperança, aos olhos que só carregam desânimo e por isto mesmo se cegam.

Se assim você se sente, faça então seu dia diferente, saía para a vida com um sorriso, cumprimente com simpatia ao irmão que te cruza o caminho, repare nele, veja se não é o caso de uma palavra de ânimo, de conforto, ou então de um diálogo leve, descontraído.

Olhe atentamente ao teu redor, repare que sempre existe coisas diferentes, pequenas mudanças que acontecem naturalmente.

Trabalhe com afinco, dando graças ao Pai ao serviço abençoado que te torna útil, não veja nunca o pior lado das coisas ou das situações, procure sempre entender e enxergar o lado positivo de tudo, olhe tudo e a todos com olhos de amor.

Finalmente, quando a noite cair e você se aconchegar em teu leito, não permita que a negatividade tome conta de ti, com firmeza recuse qualquer lembrança de dor, de mágoa, procure lembrar-se das alegrias de tua vida, faça planos para o próximo amanhecer e por fim ore ao Pai dando graças pela oportunidade de mais um aprendizado na Terra.

Desta forma terás o descanso merecido para o teu corpo e teu espírito liberto momentaneamente irá procurar a companhia de espíritos de luz, para não perder instante nenhum, aprendendo na espiritualidade e até trabalhando em prol de irmãos necessitados.

Acordarás sentindo-se bem, abrirás a janela e sorrirás para o novo dia independente do tempo que faz lá fora, respirarás fundo e dirás: ¨ Pai que neste dia eu possa aproveitar todas as oportunidades de auxílio e aprendizado que colocares em meu caminho. Que assim seja. ¨

Verás que nunca mais o desânimo tomará conta de ti, a tua fé se fortalecerá e a esperança jamais perecerá.

Fique em paz.


Ditado por Áspargos, psicografado por Luconi, extraído do site "Mensagem espírita"

terça-feira, 28 de agosto de 2012

A Boa Colheita


Ao amanhecer tudo será diferente em cada momento de tua vida. 
O esclarecimento é de muita importância para a tua evolução: 
tanto para ti como para o teu próximo, queiras sempre o melhor. 
O bem sempre ganha do mal: 
por pior que seja o teu dia, sempre haverá um novo 
amanhã para poderes recomeçar. 
A esperança traz novas propostas e é um fruto muito 
adocicado para nossas vidas;
o bem-viver se entrelaça com o amor e a união;
o resgate interior é de muita importância, pois é através dele 
que se consegue ter uma nova visão do futuro.
Alguns homens perdem a oportunidade de se conhecer 
e de se respeitar – esses não conseguem enxergar o amanhã –, 
mas a todos são dadas as devidas oportunidades, é que 
muitos não sabem fazer uma boa colheita.
Plante amor e colherás flores e carinho; plante ódio e 
colherás raiva e ervas daninhas.
O plano astral quer sempre estar de mãos dadas e guiar tua alma para perto do Nosso Senhor Jesus.
Fica sempre alerta e guia-te sempre pelo teu coração e pela tua consciência;não te deixes abater pelos problemas cotidianos; 
fé é a única ferramenta de que precisas para o bem-viver.
O grande homem é sempre aquele que se resgata e aceita a 
colocação de palavras superiores que irão ao 
encontro de seu ser interior.
Por muitas vezes o homem não quer receber críticas 
porque ele quer acreditar que está fazendo o certo, mas às 
vezes ele sabe que não está agindo corretamente.
Basta começares a aceitar a mudança interior, que nós, espíritos benevolentes, estaremos sempre ao teu lado para te instruir 
e te mostrar o caminho certo de tua grande jornada. 
 Desse modo, alcançarás os degraus mais altos de tua melhora
 interior e de tua evolução espiritual. 
Agradeça sempre por uma conquista; 
agradeça a cada dia, no mínimo, por estares vivo, com saúde, 
ao lado de teus familiares que tanto te querem bem.
Agradeça, ame, sonhe com teus objetivos e lute para conquistá-los.
Ao homem é dado o poder de tudo:
“podes”, basta “ quereres agir ”, seguires as leis divinas 
e teres fé em tua conquista.
Jesus sempre ensinou a acreditar no amanhecer.
Estarás um dia ao lado Dele e poderás usufruir do saber divino e da grande felicidade que com certeza encontrarás.
Até lá viva em paz; saibas fazer com que teus ensinamentos proliferem nas vidas de outros; ajude e apoie sempre um irmão necessitado.
Sê grande em tua jornada, com muita luz interior.

Jesus está contigo!


CAMILO PEREZ


sábado, 25 de agosto de 2012

Oportunidades Diárias


Narra uma lenda chinesa que, às margens de imenso rio, vivia um pescador muito pobre.

Mal o rosto dourado da manhã se abria em sorrisos e as mãos brincalhonas da brisa matinal começavam a espalhar perfumes, ele se levantava e seguia para o rio.

As aves voavam alegres pelos ramos das árvores, em gorjeios maviosos. Mas nada disso animava Vicente, o pescador.

Ele andava lento, depois de se levantar com preguiça. Tomava o café matinal sem prestar atenção ao pão que fora servido, com carinho.

Com má vontade, naquela manhã, como em tantas outras, ele pegou suas redes de pesca, os apetrechos necessários e foi para o barco.

O dia prometia ser maravilhoso. A mãe natureza se esmerava em preparar um detalhe diferente, para que a reprise do dia anterior não fosse total. Um detalhe, afinal, é sempre muito importante.

Mas Vicente nada via. Foi resmungando para o barco. Sentou-se meio a contragosto, sempre reclamando e sentiu alguma coisa no chão. Sem olhar, apalpou com a mão direita. Encontrou uma sacolinha com pedras miúdas.

Distraído, sem ânimo para iniciar o trabalho da pesca, começou a jogar as pequenas pedras no rio, aguardando a chegada do sol.

Jogou uma a uma, divertindo-se com as ondulações que se desenhavam na superfície das águas.

Finalmente, o sol apareceu soberano, rasgando a escuridão da noite, com o seu punhal de luz.

Agora havia calor e muita luminosidade. O novo dia abriu seu manto de belezas para que todos o pudessem apreciar.

Vicente, ao pegar a última pedra, verificou que ela cintilava, refletindo os raios do sol. Examinando melhor, percebeu que se tratava de um diamante, explodindo claridade e beleza.

Levantou-se depressa e sacudiu a sacolinha. Estava vazia. Dando-se conta que jogara no rio uma imensa riqueza, Vicente se pôs a gritar, esbravejar, acusando todas as pessoas e o mundo por sua desgraça.

Sentia-se infeliz e amargurado. Perdera um grande tesouro. Jogara tudo no rio.

E, enquanto gritava e se desesperava, nem se deu conta de que ainda possuía nas mãos a última pedra preciosa.

Se você acordou esta manhã com mais saúde do que doença, você é mais abençoado do que o milhão que não sobreviverá esta semana.

Se você nunca passou pelo perigo de uma batalha, a solidão de uma prisão, a agonia de uma tortura, ou as aflições da fome, você está à frente de quinhentos milhões de pessoas no mundo.

Se você tem a ventura de frequentar um templo religioso, de seguir uma religião sem o medo de ser preso, torturado ou morto, você é mais abençoado do que três bilhões de pessoas no mundo.

Se você tem comida na geladeira, roupas no corpo, um telhado sobre a cabeça e um lugar para dormir, você é mais rico do que setenta e cinco por cento das pessoas do mundo.

Por tudo isso, não se esqueça de agradecer a Deus a oportunidade da vida, da saúde, da liberdade e de todas as outras bênçãos de que você desfruta.


Redação do Momento Espírita, com base no cap. 8, do livro Para
sempre em nosso coração, de Maria Anita Rosas Batista, ed. Minas e
Em prece, de autoria desconhecida.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Nossos Pesos


Você se sente, em alguns dias, como se carregasse o peso do mundo?

Sente-se excessivamente cansado, atormentado, assoberbado de tarefas?

Talvez seja interessante refletir um pouco a respeito do que o está deixando tão exausto, quase desencantado da vida.

Conta-se que um conferencista tomou de um copo, nele despejou água e o ergueu, mostrando para a plateia.

Então, lançou a pergunta: Quanto vocês acham que pesa este copo?

As respostas variaram entre vinte e quinhentos gramas.
Bom, completou o conferencista, o peso real do copo não importa.

O que importa é por quanto tempo eu o segurarei levantado. Se o segurar por um minuto, tudo bem. Se o segurar durante um dia inteiro, precisarei de uma ambulância para me socorrer.

O peso é o mesmo, mas quanto mais o seguro, mais pesado ele ficará.

Isso quer dizer que se carregamos nossos pesos o tempo todo, mais cedo ou mais tarde não seremos mais capazes de continuar.

A carga irá se tornando cada vez mais pesada.

É preciso largar o copo, descansar um pouco, antes de segurá-lo novamente.

Temos que deixar a carga de lado, periodicamente. Isso alivia e nos torna capazes de continuar.

Portanto, antes de você voltar para casa, deixe o peso do trabalho num canto. Não o carregue para o lar.

Você poderá retomá-lo, no dia seguinte.
Há sabedoria nas palavras do conferencista. Por isso mesmo, o Sábio de Nazaré, há mais de dois mil anos recomendou: A cada dia basta sua própria aflição.

Equivale a dizer que devemos saber nos empenhar em algo que precisa ser feito, que exija todo nosso esforço.

Mas que, depois de um tempo, precisamos relaxar, espairecer, trocar de tarefa.

A lei trabalhista estabelece o cômputo de horas ao trabalhador. Também o dia do repouso, das férias.

Na escola, temos horários de estudo, intercalados com intervalos.

Pensemos, portanto, e comecemos a agir com sabedoria. Enquanto no trabalho, todo empenho.

Vencidas as horas de esforço mental ou físico, envolvamo-nos em outra atividade prazerosa.

Busquemos o lar e vivamos, intensamente, com nossos familiares.

Observemos o filho no berço, o outro que ensaia as primeiras letras no papel. Preocupemo-nos em saber se tudo está bem. Conversemos.

Desanuviemos o cenho, agora é o momento da família.

E não esqueçamos de momentos para a oração, para a boa música, a leitura nobre, que nos refaça a intimidade, nos descanse a alma.

Vinculemo-nos a um trabalho voluntário. Cultivemos nosso jardim. Podemos as árvores. Colhamos flores.

Despertemos mais cedo e observemos o nascer do sol. Encantemo-nos com o cair da tarde.

Em suma: vivamos cada momento com todas as nossas energias. Cada momento, sem levar conosco cargas desnecessárias.

Lembremos Jesus: A cada dia basta sua própria aflição.


Redação do Momento Espírita, com base no texto "O copo d´água",
de autoria desconhecida.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Trabalhando


Quando estudamos a lição dos trabalhadores da última hora, nas páginas divinas do Evangelho, recordamos que, realmente, trabalhando, é possivel alcançar todas as realizações que nos propomos atingir.

Trabalhando, o coração empolgado pelo desânimo, pode converter, de imediato, as trevas da amargura em claridades imperecíveis de alegria e esperança.

Trabalhando, a criatura frágil, se fortifica, pouco a pouco, dominando o campo em que respira, vive e cresce.

Trabalhando, a mente atacada pelo veneno do ódio ou da desesperação, encontra recursos para compreender as próprias lutas, com mais clareza, aprendendo a transformar revolta e fel em paciência e perdão.

Trabalhando, a alma isolada pela discórdia, pode surpreender a abençoada luz da harmonia e da paz, depois de longas noites de conflito e agonia.

Trabalhando, o mau se faz bom, o adversário se transforma em amigo, o infeliz atinge a casa invisível e brilhante do eterno júbilo.

Guardemos a palavra de Jesus e trabalhemos sempre na extensão do bem.

O livro ou tribunal, a enxada ou a semente aguardam nossos braços, tanto quanto os sábios e os ignorantes esperaram por nossa cooperação cada dia.

Fujamos as sombras densas e guerras escuras do nosso próprio "eu", devotando-nos ao serviço de Deus, na pessoa e nos círculos dos nossos semelhantes.

Plantando a felicidade dos outros, encontraremos a nossa própria felicidade.

Um anjo que se ponha a dormir num vale, tentado pelo perfume das flores efêmeras, pode repousar indefinidamente nas trevas, enquanto que o aleijado que se disponha a arrastar-se, sangrando o corpo e cobrindo-se de suor, na subida do monte, pode alcancar glória do cimo e banhar-se de sublimes clarões, antes dos que dormem, com graça divina da gloriosa alvorada...

Os últimos serão os primeiros - disse o Senhor!
Em verdade, será difícil a compreensão de semelhante ensino para nossa lógica habitual, entretanto, se vives servindo, compreenderás que o trabalho realmente pode operar o divino milagre.

Francisco Cândido Xavier. Alma e Luz. Pelo Espírito Emmanuel. IDE.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

O Tempo Passa


Somos todos usufrutuários aqui na Terra, quando encarnados estamos.

Tudo passa muito rápido na vida.

Vamos dar às coisas materiais somente o valor que elas merecem.

Viver é uma arte; viver na Terra é um desafio; o dia-a-dia, a soma de experiências.

Deus chama incessantemente seus filhos à prestação de contas. Ontem um amigo, hoje um irmão, amanhã, talvez, um de nós.

Não importa o tempo que leve. Todos prestaremos contas a Deus.

Seremos felizes ou desgraçados de acordo com o valor que dermos, mais ou menos, às questões morais.

Não podemos hesitar em buscar o bem, em nos esforçarmos pela paz e harmonia, através do amor, da prática da caridade e benevolência para com nossos semelhantes.

O tempo passa muito rápido, irmãos.

Muitos chegam na espiritualidade e se vêem frustrados, depressivos, pois percebem o tempo valoroso desperdiçado.

Sim, é muito prazerosa a diversão, o tempo utilizado no lazer, mas cabe-nos aprender a distribuirmos nosso tempo a benefício do próximo, da busca espiritual e da devoção a Deus e à vida.


Mensagem Psicografada em 31/03/2008
Autora: Irmã Angélica (Espírito)
Médium: André Ariovaldo

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Filhos da Luz


Cada criatura dá sempre notícias da própria origem espiritual.

Os atos, palavras e pensamentos constituem informações vivas da zona mental de que procedemos.

Os filhos da inquietude costumam abafar quem os ouve, em mantos escuros de aflição.

Os rebentos da tristeza espalham o nevoeiro do desânimo.

Os cultivadores da irritação fulminam o espírito da gentileza com os raios da cólera.

Os portadores de interesses mesquinhos ensombram a estrada em que transitam, estabelecendo escuro clima nas mentes alheias.

Os corações endurecidos geram nuvens de desconfiança, por onde
passam.

Os afeiçoados à calúnia e à maledicência distribuem venenosos quinhões de trevas com que se improvisam grandes males e grandes crimes.

Os cristãos, todavia, são filhos da luz.

E a missão da luz é uniforme e insofismável.

Beneficia a todos sem distinção.

Não formula exigências para dar.

Afasta as sombras sem alarde.

Espalha alegria e revelação crescentes.

Semeia renovadas esperanças.

Esclarece, ensina, ampara e irradia-se.

Francisco Cândido Xavier. Vinha de Luz. Pelo Espírito Emmanuel. 14.ed. Rio de Janeiro, RJ: FEB, 1996. Capítulo 160.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Mágoa


Síndrome alarmante, de desequilibro, a presença da mágoa faculta a fixação de graves enfermidades físicas e psíquicas no organismo de quem a agasalha.

A mágoa pode ser comparada à ferrugem perniciosa que destrói o metal em que se origina.

Normalmente se instala nos redutos do amor-próprio ferido e paulatinamente se desdobra em seguro processo enfermiço, que termina por vitimar o hospedeiro.

De fácil combate, no início, pode ser expulsa mediante a oração singela e nobre, possuindo, todavia, o recurso de, em habitando os tecidos delicados do sentimento, desdobrar-se em modalidades várias, para sorrateiramente apossar-se de todos os departamentos da emotividade, engedrando cânceres morais irreversíveis. Ao seu lado, instala-se, quase sempre, a aversão, que estimulam o ódio, etapa grave do processo destrutivo.

A mágoa, não obstante desgovernar aquele que a vitaliza, emite verdadeiros dardos mortais que atingem outras vítimas incautas, aquelas que se fizeram as causadoras conscientes ou não do seu nascimento.

Borra sórdida, entorpece os canais por onde transita a esperança, impedindo-lhe o ministério consolador.

Hábil, disfarça-se, utilizando-se de argumentos bem urdidos para negar-se ao perdão ou fugir ao dever do esquecimento. Muitas distonias orgânicas são o resultado do veneno da mágoa, que, gerando altas cargas tóxicas sobre a maquinaria mental, produz desequilíbrio no mecanismo psíquico com lamentáveis conseqüências nos aparelhos circulatório, digestivo, nervoso...

O homem é, sem dúvida, o que vitaliza pelo pensamento. Sua idéias, suas aspirações constituem o campo vibratório no qual transita e em cujas fontes se nutre.

Estiolando os ideais e espalhando infundadas suspeitas, a mágoa consegue isolar o ressentido, impossibilitando a cooperação dos socorros externos, procedentes de outras pessoas.

Caça implacavelmente esses agentes inferiores, que conspiram contra a tua paz. O teu ofensor merece tua compaixão, nunca o teu revide.

Aquele que te persegue sofre desequilíbrios que ignoras e não é justo que te afundes, com ele, no fosso da sua animosidade.

Seja qual for a dificuldade que te impulsione à mágoa, reage, mediante a renovação de propósitos, não valorizando ofensas nem considerando ofensores.

Através do cultivo de pensamentos salutares, pairarás acima das viciações mentais que agasalham esses miasmas mortíferos que, infelizmente, se alastram pela Terra de hoje, pestilenciais, danosos, aniquiladores.

Incontáveis problemas que culminam em tragédias quotidianas são decorrência da mágoa, que virulenta se firmou, gerando o nefando comércio do sofrimento desnecessário.

Se já registras a modulação da fé raciocinada nos programas da renovação interior, apura aspirações e não te aflijas. Instado às paisagens inferiores, ascendo na direção do bem. Malsinado pela incompreensão, desculpa. Ferido nos melhores brios, perdoa.

Se meditares na transitoriedade do mal e na perenidade do bem, não terás outra opção, além daquela: amar e amar sempre, impedindo que a mágoa estabeleça nas fronteiras da tua vida as balizas da sua província infeliz.

 
Divaldo Pereira Franco - Joanna de Ângelis

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Necessário e Dispensável


O consumismo atual responde por muitos problemas.

As indústrias do supérfluo apresentam no mercado da vacuidade um sem-número de produtos desnecessários, que aturdem os indivíduos.

Estimulados pela propaganda bem elaborada, desejam comprar, mesmo sem poder, o que vêem, o que lhes é apresentado, numa volúpia crescente.

Objetos e máquinas que são o último modelo, em pouco tempo passam para o penúltimo lugar, até ficarem esquecidos em armários ou depósitos de coisas sem valor.

No entanto, se não fossem adquiridos, naquela ocasião, a vida perderia o sentido para quem os não comprasse.

Consumismo é fantasia, transferência do necessário para o secundário.

O consumidor que não reflete antes de adquirir, termina consumido pelas dívidas que o atormentam.

Muita gente faz compras, por mecanismos de evasão.

Insatisfeitas consigo mesmas, fogem adquirindo coisas mortas, e mais se perturbando.

Enquanto grande número de indivíduos se afogam no oceano do supérfluo, multidões inteiras não possuem o indispensável para uma vida digna.

Abarrotados, uns, com coisas nenhumas, e outros vitimados por terrível escassez.

São os paradoxos do século e do comportamento materialista-utilitarista da atualidade.

Confere a necessidade legítima, antes de te permitires o consumismo.

Coisas de fora não equacionam estados íntimos. Distraem a tensão por um momento, sem que operem real modificação interior.

Quando o excesso te visite, reparte-o com a escassez ao teu lado.

Controla e dirige a tua vontade, a fim de não seres uma vítima a mais do tormento consumista.

Divaldo P. Franco. Da obra: Episódios Diários. Ditado pelo Espírito Joanna de Ângelis. Capítulo 25. LEAL.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Vinte Serviços Que o Espiritismo Pode Fazer Por Você


1- Integra você no conhecimento de sua posição e criatura eterna e responsável, diante da vida.

2- Expõe o sentido real das lições do Cristo e de todos os outros mentores espirituais da Humanidade, nas diversas regiões do Planeta.

3- Suprime-lhe as preocupações originárias do medo da morte provando que ela não existe.

4- Revela-lhe o princípio da reencarnação, determinando o porquê da dor e das aparentes desigualdades sociais.

5- Confere-lhe forças para suportar as maiores vicissitudes do corpo, mostrando a você que o instrumento físico nos reflete as condições ou necessidades do espírito.

6- Tranqüiliza você com respeito aos desajustes da parentela, esclarecendo que o lar recebe não somente os afetos, mas também os desafetos de existências passadas, para a necessária regeneração.

7- Demonstra-lhe que o seu principal templo para o culto da Presença Divina é a consciência.

8- Liberta-lhe a mente de todos os tabus em matéria de crença religiosa.

9- Elimina a maior parte das suas preocupações acerca do futuro além da morte.

10- Dá-lhe o conforto do intercâmbio com os entes queridos, depois de desencarnados.

11- Entrega-lhe o conhecimento da mediunidade.

12- Traça-lhe providências para o combate ou para a cura da obsessão.

13- Concede-lhe o direito à fé raciocinada.

14- Destaca-lhe o imperativo da caridade por dever.

15- Auxilia você a revisar e revalorizar os conceitos de trabalho e tempo.

16- Concede-lhe a certeza natural de que, se beneficiamos ou prejudicamos alguém, estamos beneficiando ou prejudicando a nós próprios.

17- Garante-lhe serenidade e paz diante da calúnia ou da crítica.

18- Ensina você a considerar adversários por instrutores.

19- Explica-lhe que, por maiores sejam as suas dificuldades exteriores, intimamente você é livre para melhorar ou agravar a própria situação.

20- Patenteia-lhe que a fé ilumina o caminho, mas ninguém fugirá da lei que manda atribuir a cada qual segundo as obras pessoais.

Essas são vinte das muitas bênçãos que o Espiritismo realiza em nosso favor. Será curioso que cada um de nós pergunte a si mesmo o que estamos nós a fazer por ele.

Médium: Waldo Vieira – Espírito: André Luiz.
Fonte da imagem: Internet Google.

Poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...