Aum ॐ Meu Recanto de Paz: Abril 2010

ॐ Amigos, sejam muito BEM VINDOS!! ♥

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Somos todos livres


Você é livre para mudar.
Mude o caminho que faz tudo dia. Olhe por onde passa. Olhe o céu. Olhe as pessoas que cruzam seu caminho. Ande mais depressa ou ande mais devagar.
Estabeleça uma certa rotina no seu dia-a-dia. Rompa com determinados hábitos antigos. É preciso distinguir rotina de estagnação. A rotina é necessária para que possamos organizar nossa vida e ter tempo para desenvolver a criatividade e ampliar o autoconhecimento.
Na rotina podemos ter liberdade de atuação, pois podemos fazer as mudanças necessárias em prol do crescimento pessoal sem que seja preciso romper com tudo, apenas fazendo pequenos ajustes, sempre.
Estagnação é viver na inércia, sem perspectiva de mudar, melhorar ou crescer em nenhum aspecto, seja no âmbito pessoal ou profissional. A única maneira de sair da estagnação é o rompimento drástico.
Você é livre para escolher. Escolha aquilo que lhe faz bem. Saiba que aceitar ou não uma situação faz parte do leque de escolhas que você tem. Então, opte pelo que lhe proporciona paz de espírito. Sempre temos escolhas!
É preciso distinguir persistência de teimosia. Na persistência sempre temos uma meta que lutamos para alcançar. Na teimosia, simplesmente, não queremos abrir mão de algo; nem que seja de um sonho – mas é apenas um sonho e não um projeto ou realidade. É preciso distinguir sonho de projeto. Para o projeto estabelecemos prioridades, metas bem definidas, empenho objetivo, disciplina e esforço contínuo em sua realização. Sonho é a fantasia e a ilusão de um desejo, sem a praticidade necessária para que aconteça.
Você é livre para amar.
Primeiramente, ame as pessoas ampla e incondicionalmente, simplesmente, por serem seres humanos e almas em evolução. Inclua-se entre os seres humanos dignos de serem amados - todos o são!
Eleja as pessoas que lhe são especiais e comunique isso a elas sempre que possível.
Discrimine o que cada pessoa presente em sua vida representa para você.
Preste atenção no que cada uma delas pode lhe oferecer e o que você pode oferecer a cada uma delas. Nem sempre é o que esperamos e vice-versa. É preciso distinguir expectativas de possibilidades.
O ser humano tem como tônica em suas relações ter expectativas – sempre esperam que seus desejos sejam realizados. O que gera frustrações e decepções.
Muitas vezes as expectativas são irreais – acima das possibilidades em realizá-las; por isso é importante estar atento às possibilidades. Estar atento às possibilidades é estar atendo ao potencial do outro e da própria relação. Estar atento ao potencial do outro é conhecê-lo, é enxergá-lo como ele realmente é, e não como gostaríamos que fosse. Uma coisa é o que desejamos (expectativas que temos), outra coisa é o que é possível (as possibilidades reais).
Tudo isso é possível: somos livres para mudar, somos livres para fazer escolhas mais adequadas, somos livres para amar. Enfim, somos livres!
E como diz a sabedoria popular: só há liberdade com responsabilidade.
Quando assume responsabilidade sobre a própria vida você é verdadeiramente livre.
A verdadeira liberdade implica em auto-respeito, bem como respeito ao outro também (todos somos seres humanos).
A verdadeira liberdade passa pela ética, onde você se compromete com a sua verdade, aplicando-a em sua vida, sempre sem invalidar a verdade do outro. Ser verdadeiramente livre significa estar mais próximo de si e do outro enquanto seres humanos que somos, através de relacionamentos auto-responsáveis, verdadeiros e humanos.
Quando temos comprometimento com a vida, com ética e respeito, somos livres!
Autor: Maria Aparecida Diniz Bressani


sábado, 24 de abril de 2010

Seguir em frente, sem mágoas


O mestre budista Chögyam Trungpa dizia que o objetivo da vida consiste em simplesmente ir em frente e fazer da vida um modo de despertar, mais do que de adormecer. A capacidade de continuar nos ajuda a perceber que nenhum problema é sem saída. Seguir adiante significa não nos deixarmos estagnar pela inércia, pelo medo ou pela irritação.
A melhor maneira de nos libertarmos do passado é fazer as pazes conosco mesmos no momento presente. Fazer as pazes com quaisquer lembranças ou sentimentos que possam surgir. De forma que, aos poucos, não seremos mais aprisionados por essas recordações.
Passamos a permitir que antigas imagens sobre nós mesmos vão embora. Continuamos simplesmente a seguir em frente. Nada mais nos faz parar. Sabemos continuar positivamente, pois estamos conectados com nossa confiança básica, com nossa bondade fundamental.
Coragem é a habilidade de mover-se para o futuro, sem olhar para trás: desapegar-se do passado. Lembro-me de um fato ocorrido com uma amiga. Ele me contou que anos após ter ido morar com o esposo, encontrou na casa de sua mãe uma caixa fechada remanescente da mudança. Não teve dúvidas: colocou fogo na caixa sem abri-la. Assim, não despertaria a mente do apego, disse-me ele. Uma vez que passara tantos anos sem precisar das coisas que estavam naquela caixa, não era necessário abri-la para saber que o que ela continha era carga extra. Isso muitas vezes me inspira a não remexer em histórias passadas que já esgotaram seus enredos. Em muitos momentos, é preciso saber conter a curiosidade e colocar fogo nas nossas caixas, antes que não possamos mais controlar o impulso de abri-las.
Ao descobrir nossa vocação, surge em nós, simultaneamente, um profundo sentimento de coragem. Sentimo-nos muito próximos de nós mesmos quando compreendemos uma verdade interna que não pode mais ser negada. Conseqüentemente, nós nos comprometemos com a idéia de abandonar tudo aquilo que nos impedia de ir na direção de nosso destino. Ir de encontro ao destino é realizar plenamente o potencial que está desde sempre em nós. É como ouvir um chamado e responder a ele. Ou desabrochar todas as nossas potencialidades e seguir uma vocação. E estranhamente, o mundo costuma nos corresponder quando fazemos assim. Uma das formas de saber que se está no bom caminho e que estamos fazendo aquilo para o qual nascemos é que o mundo nos abre as portas.
Todos nós precisamos conhecer nossa vocação: o que temos de particular para oferecer ao mundo. Não seguir nossa vocação representa um problema tanto para nós quanto para os outros, pois, quando nos entregamos à inércia da vida, nos tornamos também um peso para aqueles que estão à nossa volta.
Se decidirmos nos tornar alguém que se dedica com todo o coração a utilizar a vida para despertar, temos que superar a dificuldade de lidar com o desconforto das mudanças.
Quando nos conscientizamos de que estamos resistentes em aceitar uma mudança iminente, é útil nos perguntar: “O que é preciso morrer agora dentro de mim, para nascer nesta nova fase com força e confiança?” Uma resposta é certa: nossas mágoas. Carregar mágoas nos faz sentir cansados e sem vontade de iniciar novos projetos. Elas revelam o quanto estamos estagnados por limitações internas e externas.
Ficar presos a elas consome nossa energia vital.
Para encerrar, abaixo seguem algumas regras para se evitar a mágoa:



Abandone hábitos que te prejudicam.
Nunca diga sim se quer dizer não.
Evite falsos amigos.
Não vá a locais que, antecipadamente, sabe que lhe fazem mal.
Jamais vá para casa com um assunto não esclarecido.
Tome decisões, jamais as administre.
Não crie situações negativas virtuais. Elas sempre vão existir só na sua mente.
Sofrer com o que é real já é suficiente.
A quem você ama, demonstre. Quem você não suporta, evite.
Nunca conviva com quem te faz mal.
Siga sua intuição.


"Autor desconhecido"



Poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...